VOL. 6 | N.º 3

Apresentação

Paula Guerra 

AS ARTES, AS EXPERIÊNCIAS E OS MUNDOS DA VIDA

 

Artigos

“SAMBA DE UMA NOTA SÓ”? TURISMO CULTURAL NUM DESTINO DE SOL E PRAIA

Ana Rita Cruz

Destinos turísticos de “sol e praia” são, normalmente, caracterizados por uma base económica pouco diversificada. Mas a própria actividade turística é quase sempre excessivamente concentrada na oferta do produto primário. Por outro lado, a cultura é reconhecida como uma dimensão estruturante da experiência turística, constituindo uma das principais motivações de viajem a nível mundial e gerando benefícios mútuos na oferta e na procura. Este artigo explora estas ideias e procura perceber se o turismo cultural tem espaço para crescer e para se consolidar num contexto territorial, como o Algarve, que concentra a sua atividade turística no produto ‘sol e praia’. A análise de segmentação do perfil dos visitantes foi elaborada a partir de um questionário aos turistas da região e os resultados permitem lançar algumas reflexões sobre o papel do turismo cultural num destino turístico que se pretende mais diversificado e sustentável.

 

GRAFFITI, MIGRACÃO E DECOLONIALIDADE: REFLEXÕES SOBRE A “PRETOGALIDADE DE SER”

Maria da Graça Luderitz Hoefel, Denise Osório e Paula Guerra

Este artigo procura analisar o graffiti intitulado Pretogalidade de ser (2022), de autoria da artista Moami, a partir de sua experiência artística e de vida, a fim de refletir sobre as relações entre o graffiti, a migração e a colonialidade no contexto português. Trata-se uma pesquisa qualitativa, com método misto, composto por pesquisa-ação, netnografia e história oral. A obra Pretogalidade de ser (e a trajetória da artista) parece revelar as ambivalências do mundo globalizado e seu próprio modo de existência, que reconhece a perpetuação das colonialidades, mas simultaneamente também afirma sua pertença ao país colonizador e aos valores da modernidade. Assim, a reflexão sobre a obra de Moami sinaliza muitas aproximações com a complexidade da contemporaneidade, caracterizada pelos fluxos, pela transitoriedade e inconstância.

 

LIBERTE O CINEASTA QUE EXISTE EM VOCÊ! O PROTAGONISMO DOS ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO FESTIVAL DE FILMES DE CURTA-METRAGEM DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE BRASÍLIA
Maria do Carmo G. A. Alvarenga

O presente artigo oferece uma reflexão sobre o Festival de Filmes de Curta-metragem das Escolas Públicas de Brasília criado em 2015 e realizado como parte da programação do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. A partir do exemplo de experiências e abordagens teóricas sobre a criação audiovisual nas escolas, além de depoimentos dos participantes, pretende-se analisar os impactos do uso do cinema como fonte de conhecimento e percepção, elevando a ação pedagógica de assistir a um filme como mera forma de ilustração para uma imersão na produção fílmica, que culmina na realização de um festival. O artigo aborda, com base nos estudos sobre festivais, os efeitos para a cultura e a educação, ao ampliar o leque das atividades de formação já existentes nos festivais de cinema profissionais e ao contribuir para acrescentar o segmento estudantil às categorias de festivais especializados.

 

A FORMAÇÃO DE ESPECTADORES TEATRAIS NO AMBIENTE DIGITAL NUM CENÁRIO PANDÊMICO

Robson Rosseto e Sara Dobginski de Moraes

A formação de espectadores é analisada neste artigo com o foco voltado ao teatro digital, dentro do ambiente pandêmico em que o Brasil esteve imerso nos últimos anos. Para tal, foram trazidos alguns dados indicativos sobre os hábitos culturais e acesso a redes de internet de brasileiros. Conclui-se que as desigualdades sociais de acesso à cultura no território nacional se mantêm desiguais no acesso à internet.

 

ENTRE ESCRITAS E CRÍTICAS: INTELECTUALIDADE E HISTÓRIA DA LITERATURA NA OBRA DE O. G. REGO DE CARVALHO

Pedro Pio Fontineles

O estudo compreende a (re)construção da história da literatura piauiense, a partir da atuação intelectual de Orlando Geraldo de Carvalho (1930-2013), problematizando questões de fronteiras e de identidades do “ser piauiense”. Debate as interrelações entre o local, o regional e o nacional como demarcadores de cânones literários e que geraram ranhuras com outros intelectuais, especialmente no âmbito local. Metodologicamente, o estudo fez a leitura analítico-interpretativa dos documentos, compostos pelo livro Como e por que me fiz escritor (1994), de seus romances, além de antologias e fortuna crítica sobre a obra do literato. Como arcabouço teórico-metodológico, foram utilizadas proposições para pensar o “campo literário” e dimensões canônicas e identitárias, a biografia e a autobiografia. O estudo considerou, em linhas gerais, que a atuação e obra do literato são fulcrais para (re)pensar os debates sobre a história da literatura piauiense e da crítica literária, por meio dos elementos dinâmicos da escrita (auto)biográfica.
 

A VIDA ATRAVÉS DE SANGUE, DE VÍSCERAS E DE SUSTOS: O MEDO E A FORMA COMO O CINEMA DE TERROR REFLETE O SOCIAL

Daniela Covarrubias

O presente artigo tem como objetivo compreender a construção do medo no gênero cinematográfico do terror, entendendo que os sentimentos provocados por este gênero são influenciados pelo contexto histórico-social. Compreendendo que o sentimento de medo é bastante complexo, a pergunta de partida “O que provoca o medo?” nos revela a complexidade do ser humano, dos sentimentos, dos sujeitos e como estes estão profundamente relacionados com um contexto mais amplo, influenciado pela cultura, pelo social e pelo político. Através de uma extensa investigação bibliográfica e filmográfica, busca-se compreender a relação telespectador-obra e as ferramentas utilizadas para provocar sentimentos de angústia, aflição e medo. Investiga-se diversas formas de provocar o medo e como este está relacionado com questões individuais e coletivas simultaneamente, e, com questões da realidade objetiva e da subjetividade do ser humano. Estas dicotomias tornam o medo um sentimento multidimensional.

Registos de Pesquisa

HISTÓRIA ORAL E ENTREVISTAS NO ESTUDO DAS ARTES – ANÁLISE DE APLICAÇÃO AO ESTUDO DE JORGE LIMA BARRETO

André Quaresma

Existe uma natureza híbrida que envolve a produção artística do objeto de estudo Jorge Lima Barreto e dos seus processos composicionais, intrincados noutras formas de manifestação artística; e uma contemporaneidade dos intervenientes nos acontecimentos investigados, ficando clara a necessidade do recurso a metodologias de história oral como a entrevista. Partindo do capítulo Oral History Interviews in Contemporary Art: Artistic and Scientific Methods de Sibylle Omlin, da publicação Práticas de Arquivo em Artes Performativas, pretende-se analisar a aplicação e disponibilização das entrevistas, que serão feitas para tornar a produção decorrente da investigação, esteticamente coerente com a multidisciplinaridade da temática estudada. Para assim atingir um produto final com preocupações não só cientificas, mas também estéticas e conceptuais.

 

Recensões/Resenhas

RECENSÃO CRÍTICA DO LIVRO “RUA DE MÃO ÚNICA: INFÂNCIA BERLINENSE - 1900” DE WALTER BENJAMIN (2013)

Sidarta Landarini

A respectiva recensão busca interpretar o livro “Rua de mão única: Infância berlinense - 1900” de Walter Benjamin como uma literal rua surrealista. Dessa maneira, é proposta uma caminhada, através de pequenos comentários, fragmentos e livres associações que os aforismos benjaminianos reverberam para o autor da recensão. Realizar tal exercício é levar a premissa máxima de que a leitura de um livro é uma experiência (erfahrung) passível de ser compartilhada, não encerrada em si, e sim em relação com outros leitores e com as palavras do autor original.

 

 


TODAS AS ARTES || TODAS AS FESTAS || TODAS AS UTOPIAS ||2024

TODAS AS ARTES ||  TODAS AS FESTAS || TODAS AS UTOPIAS ||2024

A equipa Todas as Artes deseja um Feliz Natal e um Bom Ano Novo.
(c) Esgar Acelerado

FEMINISM IN THE FRAME OF THE NEOLIBERAL REGIME:

FEMINISM IN THE FRAME OF THE NEOLIBERAL REGIME:

Women, Welfare and the Current Crisis

Conferência com Angela McRobbie, Goldsmiths College, University of London

8 de Novembro, 18h

Sala de Reuniões 1 da FLUP

Chair e Apresentação: Paula Guerra (IS-UP/FLUP)

Comentário final: Renata Gaspar (IS-UP/ESMAE)

Angela McRobbie é professora emérita da Goldsmith College, da Universidade de Londres. É membro da Academia Britânica e recebeu o prémio Honorary Doctorate da Universidade de Glasgow. As suas áreas de investigação centram-se na economia criativa e na indústria da moda com referência ao setor independente de pequena escala. Escritora feminista, é autora de muitos livros e artigos académicos sobre diversas temáticas tais como género e sexualidade, indústria da moda, feminismo e a ascensão do neoliberalismo.

https://www.gold.ac.uk/media-communications/staff/mcrobbie/


VOL. 6 | N.º 2

Apresentação

Paula Guerra e Lígia Dabul

ENVOLVIMENTO SOCIAL OU UMA APOLOGIA AO POTENCIAL TRANSFORMADOR DA ARTE

 

Artigos

COVID-19 AND PUBLIC POLICIES FOR CULTURE AND THE ARTS AN INSIGHT FROM THE GLOBAL SOUTH 

Maria Alcinete Gomes de Menezes, Gerciane Maria da Costa, Kyara Maria de Almeida Vieira e Luíza Raphaela Xavier

This work consists of research of the cultural public policies in the Brazilian northeast during the Covid-19 pandemic, with a special focus on the municipality of Mossoró, Rio Grande do Norte between March 2020 and march 2022. The main objective of this study is to identify the actions of the public power via public tenders, and to analyze their strategies to support the population of Rio Grande do Norte that produces culture and art as a form of living. The methodology is based on qualitative approaches such as bibliographic research, secondary data collection and mapping of public tenders on government platforms and social networks. The emergence of this research is oriented towards the importance of the public power in offering answers to culture producers who had their activities interrupted because of the Coronavirus. The results indicate that the State’s emergency measures made possible the maintenance of the actions of culture and art, being the Lei Aldir Branco [Aldir Blanc Law] an important achievement of the cultural sector.

 

CRUZANDO PAISAGENS CRIATIVAS E PRÁTICAS INCLUSIVAS NO PROGRAMA BAIRROS SAUDÁVEIS

Ana Sofia Baptista

Transgredir fronteiras, na interseção do trígono criatividade, artes, cultura, com a inclusão social, pode significar a adoção de um posicionamento ativo e criativo na sensibilização para os grupos vulneráveis da sociedade. Esta proposta assenta em perceber o papel da criatividade na cultura e nas artes enquanto ferramentas de intervenção-ação em prol de práticas e dinâmicas de inclusão social. Na práxis inclusiva, a cultura e as artes têm-se revelado fundamentais para a construção de programas intersetoriais, encontrando validação na integração de cidadãos e grupos excluídos, ou socialmente desfavorecidos. Partindo do cruzamento de diversas manifestações culturais e artísticas, em intervenções que cruzam diferentes geografias e contextos do território nacional, robora-se o impacto na inclusão social. A incidência num recorte de estudo, Programa Bairros Saudáveis, desvela o valor dessas manifestações, ao nível do investimento nas competências e habilidades, ao nível das vantagens face à sensibilização para a mudança social e no âmbito da reconstrução de identidades sócio espaciais coesas. A aproximação à análise de projetos de intervenção social, através de uma abordagem qualitativa e exploratória, sustentada na arts-based research, resulta no reforço na criatividade, na cultura e nas artes como evidência uníssona enquanto recurso transcendental para a evolução do Homem. Na sua diversidade os projetos congregam artefactos que ficarão na comunidade, as ações reproduzem-se como memória simbólica expressa nas práticas artísticas comunitárias e participativas, encaradas como estímulos para outras práticas inclusivas.
IMIGRAÇÕES, GASTRONOMIAS E IDENTIDADES: AS CENAS CULTURAIS DE SÃO PAULO

Camila Alonso Milani

O tema deste artigo propõe estudar como a gastronomia reflete os fluxos imigratórios que construíram a cidade de São Paulo e é capaz de traduzir a identidade cultural e cosmopolita da maior metrópole do Brasil. Entre comunidades e bairros italianos, japoneses, árabes, entre outros, a capital paulista encontrou na gastronomia, não só um modo de comunicação cultural entre tantos povos, mas a representação da sua identidade e do seu estilo de vida. Através de uma investigação qualitativa, de caráter etnográfico e exploratório, buscamos analisar, discutir e compreender, através do “comer”, as trajetórias e dinâmicas destes imigrantes em São Paulo, de modo a instaurar diferentes cenas culturais e gastronômicas na cidade.

 

ESTÉTICA E POLÍTICA NO MOVIMENTO PUNK EM ARACAJU, BRASIL

Letícia Oliveira Feijão Galvão e Frank Nilton Marcon

Este artigo tem como intuito discorrer sobre como a cena punk pode ser percebida enquanto um movimento que busca estabelecer linguagens de ação política através dos seus modos de fazer e de sua expressão estética. Considerando que a arte pode ser interpretada como um recurso de ativismo político, buscamos analisar como se desdobram as relações entre estética e política no âmbito da cena punk em Aracaju, capital do estado de Sergipe, no Nordeste brasileiro, bem como refletir sobre como o punk se estrutura enquanto um movimento simultaneamente político e identitário, como afirmam as análises de Guerra (2014, 2017, 2019, 2021) e outros autores. Os métodos utilizados foram a observação direta de eventos produzidos pela cena e a realização de entrevistas semiestruturadas com sujeitos associados ao punk na cidade. Dessa forma, a partir dos conceitos mencionados acima, buscamos analisar as novas conexões entre estética e política que se estabelecem na contemporaneidade global e as particularidades de suas reapropriações locais.

 

NEIVA OU OS PRIMÓRDIOS DO DO-IT-YOURSELF NO SUL GLOBAL

Yatan Alves

Este artigo tem por objetivo apresentar a figura de Neiva Chaves Zelaya, brasileira, fundadora do movimento espiritualista intitulado Vale do Amanhecer. Nossa proposta é lançar um olhar a partir de uma outra perspectiva, distanciando-se da sociologia das religiões e indo de encontro à sociologia da cultura, no que diz respeito às manifestações estéticas de Neiva no seu Vale do Amanhecer. O cruzamento entre espiritualidade e estilo prenuncia um paradoxo p Propedêutico face às materialidades espirituais impregnadas no modo de se apresentar de Neiva e seu impacto na comunidade espiritualista criada por ela própria.

 

CONTRIBUTOS PARA UMA GENEALOGIA DO CAMPO DA MODA EM PORTUGAL (1960-2020)

Paula Barros

Em Portugal, a moda é um campo quase invisível nas ciências sociais e, particularmente, na sociologia. Com efeito, existe ainda uma tendência generalista – e redutora – para pensar a moda como algo supérfluo, sem se ter em linha de conta que a mesma afeta outros campos da vida social. Neste artigo, propomo-nos fazer uma reconstituição socio-histórica do campo da moda em Portugal, no período entre 1960 e 2020 - numa abordagem que integra o ponto de visto dos atores, mas também as problemáticas que atravessam e definem este campo -, partindo da análise de fontes secundárias.


VOL. 6 | N.º 1

Apresentação

Paula Guerra e Lígia Dabul

ARQUIVOS, ESCALAS, MÉTODOS E SABERES EM CIÊNCIAS SOCIAIS

 

Artigos

SIMPLY LONGING FOR WILDERNESS. FICTIONS OF NATURE PRESERVATION IN WESTERN POP MUSIC

Thorsten Philipp

The individual and social longing for an intact and untouched nature is a core element of environmental crisis dynamics. To what extent is the reinvention of an authentic nature and of compatible lifestyles a theme of pop music? Can cultural production promote lacking communicative capacity to moderate environmental conflicts and sustainable living? This article reflects the societal dimension of pop music to examine its communicative potentials in processing the problem of environmental degradation and nature preservation. It is particularly the Western trope of wilderness, the idea of an unaltered, virgin nature, that deserves interest. With its origins in the 19th century land ethic, it still today offers an entry to renegotiate fictions, norms, dreams and futures of nature in times of major environmental destruction and apocalyptic disasters. The selected songs show recent attempts to reconcile wilderness and modern life, staging the colonialist narration of the Noble Savage – the Indian as a wise steward of nature. These and similar ideas of wilderness, indigenous knowledge and compatible lifestyles address the core postulate of sustainability for global and intergenerational justice. The analysis of textual and sound regimes not only offers a hybrid mirror of political communication on sustainable development through politainment; it additionally permits to discover latent structures of social systems by unveiling conflict dynamics which are mostly ignored in the public discourse.

A MÚSICA ELETRÓNICA AMBIENTAL: DA PROFUNDIDADE SONORA AOS IMAGINÁRIOS DA MENTE II

Frederico Dinis

Este artigo parte da definição para a música eletrónica ambiental, enquanto elemento indutor para a criação de um espaço para pensar, e apresenta um conjunto de autores e de trabalhos sonoros orientados para uma preocupação com o espaço. Estes autores são enquadrados desde as fundações da música eletrónica contemporânea, de meados do séc. XX e que têm por base trabalhos que revolucionaram a forma como a música eletrónica passou a ser vista, até à nova expansão da música eletrónica ambiental, com a aparição de novas sonoridades e de novos caminhos para este género musical a partir dos anos 2000, consolidando-o e estabilizando-o enquanto género musical. Mas a música eletrónica ambiental como género deve ser vista como uma sobreposição de informações, e não apenas como uma interação com um ambiente. Assim, defendemos que a ligação social da música eletrónica ambiental ao próprio ambiente e envolvente mudou ao longo da sua evolução enquanto género, tal como mudou essa envolvente, reforçando que o lugar hoje é um espaço pessoal, tal como a experiência de escuta associada à música eletrónica ambiental. A experienciação
atual da música eletrónica ambiental na conceção, ampliação ou descontinuidade de lugares, expressa por si só o desejo de exercer um agenciamento interno ou uma mediação com a própria envolvente, operando como uma reflexão do ‘eu’, recorrendo a sonoridades que movem a mente. Um ‘eu’ que inclui o mundo social em que se está imerso e uma representação de lugares figurativos.
 

SOBRE A IDEIA DA CONSCIÊNCIA IMPRESSA NO EMBODIMENT DO SOM. MAX RICHTER, GUSTAV MAHLER E ALFRED SCHNITTKE

Maria-Roxana Bischin

Este artigo releva a ideia de consciência impressa, baseada em pesquisas básicas no campo da fenomenologia.A premissa é que a música é uma substância criada a partir da infinita corporeidade sonora. Daí deriva a perspetiva de que a corporificação é algo que está impresso por detrás dos nossos julgamentos analíticos e percetivos. O embodiment deve ser visto como uma dinâmica com dois princípios: (a) o da criação da substância para-aconsciência e (b) a transferência da substância da percepção para o processo da temporalidade.
 

PERSPETIVAS SOBRE A MÚSICA CLÁSSICA BRASILEIRA E A INFLUÊNCIA DA INDÚSTRIA CULTURAL

Miqueias Felipe Costa Feitosa e André Dallálio

Este artigo aborda as implicações da Indústria cultural nas produções e divulgação da música clássica brasileira. Foi realizado entrevistas semiestruturadas com compositores e integrantes do universo da música clássica no Brasil. O objetivo desta pesquisa é compreender os impactos da Indústria Fonográfica a divulgaçãono Brasile explicações sociológicas a respeito. Entrelaçando as teorias sociológicas com as entrevistas realizadas, foi compreendido que a indústria cultural causa impactos negativos e positivos. No entanto, existem outros fatores sociais que interferem, como a educação.
 

POLÍTICAS DE MEMÓRIA EM IFIGÉNIA DE TIAGO RODRIGUES, POR ANNE THÉRON

Ana Cunha

O Teatro Nacional de São João do Porto recebeu, no início de 2023, o Festival Internacional de Espetáculos Finisterra, que abriu com Iphigénie, de Tiago Rodrigues, encenado por Anne Théron do Théâtre National de Strasbourg. A peça, que parte do original de Eurípides, repensa os aspetos clássico do teatro grego e oferece-nos uma profunda consideração sobre a importância da memória para as comunidades, o conflito entre memória coletiva e individual, a responsabilidade dos membros mais vulneráveis da sociedade em não permitir que o Poder apague/esqueça as barbáries cometidas e o determinismo social. Propomo-nos, nesse sentido, a fazer uma análise literária e sociológica da relevância da programação desta peça no cenário europeu atual.

 

RAP E MÚSICA DE INTERVENÇÃO: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO RAP EM PORTUGAL

Miguel Vidal

Este artigo procura abordar o rap português na sua dimensão mais interventiva. Desenvolve-se assim a busca pela compreensão de como esta dimensão tão inerente ao desenvolvimento  do rap no contexto norte americano é aplicada e entendida, tendo em conta as especificidades do contexto português. Partindo da análise documental de artigos de dois dos jornais de referência portugueses, desenvolve-se a imagem da forma como os públicos interagem com a dimensão interventiva do rap e a forma como a interpretam. Procurando sempre compreender-se se esta parece ser influenciada principalmente pela própria história interventiva e reivindicativa do rap (e é vista como tal), ou se parece seguir o legado da “tradicional” música de intervenção portuguesa do pós 25 de abril.

 

Registos de PesquisaPARA ALÉM DO ESPACIAL: AS POTENCIALIDADES ARTÍSTICAS DA RELAÇÃO ENTRE A FRONTEIRA E A MEMÓRIA

André Araújo

Sob uma perspetiva multidisciplinar, os estudos da fronteira têm pensado o território para lá do espacial, integrando práticas artísticas que exploram o abstrato e o simbólico. Contudo, as principais tendências da border-arttêm vindo a refletir a propensão para intervenções performativas do território que desconsideram as possibilidades da exploração das dimensões temporais, focando-se sobretudo na reconfiguração do tangível. O presente texto propõe, através do acompanhamento das opções metodológicas para a criação de dois trabalhos artísticos do autor, enquadrados numa análise crítica dos principais artistas da border-art, refletir acerca das possibilidades estéticas que estão presentes no território fronteiriço quando encarado a partir das ramificações da memória e das temporalidades.
 

Recensões/Resenhas

A MÚSICA DE JOHN CAGE – JAMES PRITCHETT

André Quaresma
 


CALL FOR PAPERS

Studia UBB Historia Artium

Studia UBB Historia Artium has been, since 2008, a series of the reputable Studia Universitatis
Babeș-Bolyai. Published by the Faculty of History and Philosophy, it is aimed at an academic
viewership as well as towards a more general audience interested in Art History in its broadest
sense, Cultural Heritage, and Visual Culture as a whole. Each number is set to include not only
research articles but also profiles or interviews with relevant actors in the aforementioned fields,
as well as an ample section dedicated to book and exhibition reviews. Through the chosen format,
the journal is intent on becoming a platform for conversation just as much as a connection
between the historiographies and artistic realities in the Central and Eastern European region.

Having local and foreign collaborators, a high professional standard, and a scrupulous peerreview process, the journal welcomes contributions from established and early-career
researchers, along with doctoral candidates.

Thematic diversity and interdisciplinary approaches and methodologies are thoroughly
encouraged. The subject area accommodates interventions on a wide range of topics including
but not limited to:
 Art History
 Contemporary Art
 Heritage Studies
 Museum Studies
 Visual Culture

For book, exhibition reviews, and profiles we accept both suggestions and commissions, so please
contact the Executive Editors at: [email protected] .

The deadline for the 2023 issue is 1 September 2023, but we welcome contributions year-round.
Please see the Instructions for Authors for further clarification.

For any inquiries and submissions do not hesitate to get in touch with the editorial team at:
[email protected].

CFP_Sept2023


Programa do III Seminário Internacional TAA 2023

Caras, Caros e Carxs Colegas,

Temos o prazer de vos anunciar o Programa do III Seminário Internacional TAA 2023. Muito obrigada pela vossa participação. Consideramos que está um programa muito intenso, diverso, transdisciplinar e de excelência.

Aproveitamos, este momento, para fornecer algumas informações.

Cada participante terá cerca de 15 minutos para apresentar o seu trabalho. Pedimos o cumprimento deste tempo para que todxs tenham possibilidade de fazer a sua apresentação e ter também um tempo de discussão. Xs moderadorxs devem reger-se por estas balizas: 15 minutos cada apresentação, sendo o restante tempo para debate.

Mais informamos que o link, para as sessões online, será enviado durante o dia 20 de junho. Apenas os participantxs que solicitaram a presença online irão receber este link e , nesse sentido, alertamos para o facto de o mesmo não poder ser partilhado com não-participantxs no evento.

O programa do evento segue em anexo e será igualmente disponibilizado no website https://www.todasasartes.pt/.

Todos os certificados serão fornecidos na semana subsequente ao Seminário.

No final do III Seminário, enviaremos instruções para a submissão de textos para o livro. O prazo para o envio do texto completo será o dia 15 de outubro de 2023. Os mesmos devem ser enviados para o seguinte email: [email protected]

Gostaríamos muito de apelar à vossa compreensão no sentido de não solicitarem alterações ao programa. Todos os pedidos que nos enviaram foram contemplados.

Na expetativa de nos encontrarmos muito em breve.

Melhores saudações.

Paula Guerra

III Seminário Internacional Todas as Artes 2023_PROGRAMA_11.06.23