Paula Guerra à Conversa com...João Vieira

É um “espírito de camaleão” com muitos “alter-egos” e ninguém melhor do que a socióloga e docente da FLUP - Paula Guerra - para mediar a aproximação a este universo tão peculiar. Dia 27 de abril, na Casa Comum. João é músico, DJ, vocalista, compositor, produtor… Um imaginador de fundo, ou um poço de “alter-egos” que, desta vez, criou uma personagem com história. São as Voices in my head (and I don’t know / if they fade away)”, diz-nos o título do single a transpirar do último LP vinil homónimo Wolf Manhattan. João Vieira vai estar na Casa Comum (à Reitoria) da Universidade do Porto, na noite de 27 de abril (21h30), à conversa com a socióloga e professora no Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da U.Porto (FLUP), Paula Guerra. E há muito por onde esgravatar e descobrir…
A entrada é livre, limitada à lotação do espaço.

Término no prazo para submissão de propostas | III Encontro Internacional Todas as Artes | Todos os Nomes

Atenção!
 
A Chamada para propostas para o III encontro Internacional Todas as Artes | Todos os Nomes, termina dia 15 de abril de 2023. 
 
Até lá, pode ainda submeter uma proposta aqui: https://todasartes.eventqualia.net/pt/inicio/
 
Estamos à sua espera, no Porto, nos dias 21, 22 e 23 de junho de 2023. 

28 FEV 2023 - ENTRELINHAS_CLUBE DE LEITURA & TRICOT - SEGUNDO SEXO, SIMONE BEAUVOIR

No próximo dia 28 de fevereiro a partir das 18h30, o "Entrelinhas - clube de leitura & tricot" reúne em homenagem aos 115 anos do nascimento de Simone de Beauvoir (1908-1986), uma das mulheres de maior realce sociológico e político ligadas ao feminismo da segunda vaga, destacando para uma conversa/debate da obra “Segundo Sexo” dedicado à história de (des)ocultação e de (re)construção das mulheres, desses Outros.

Contamos com a dinamização desta sessão por uma convidada muito especial, Paula Guerra, professora, socióloga e investigadora do IS-UP, a partir de alguns excertos da obra.

De Entrada Livre, solicitamos, contudo, a inscrição para melhor organizar a sessão neste link http://www.ateliertrestres.com/2023/02/08/inscricao-entrelinhas_clube-de-leitura-2023/

Enviaremos para o vosso email os pdf selecionados para a conversa. 

 


CHAMADA PARA RESUMOS | TODAS AS ARTES | TODOS OS NOMES

Prezadxs colegxs,

É com muita alegria que relembramos a Chamada para Resumos para o III Encontro Internacional da Rede Todas as Artes | Todos os Nomes, que terá lugar na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, nos dias 21, 22 e 23 de junho 2023.

O Encontro terá como mote ‘Todo o artista é um ativista e um bom ativista pode ser um artista’, palavras do artista chinês Ai Weiwei, defensor da inseparabilidade da arte e da política, mais especificamente da oposição política e dos impactos que isso pode ter. Incentivadora e afeita à diversidade de abordagens e temas em torno da arte, a Rede Todas as Artes | Todos os Nomes tem vindo a promover, desde a sua criação, em 2016, a convergência, a comunicação e a troca entre pesquisadores e redes de pesquisa sobre a arte nas áreas da sociologia, antropologia, economia da cultura, estudos culturais, estudos urbanos, arquitetura, história e artes, entre outras.Com o intento de estimular, de agregar e de promover uma ampla participação de pesquisadores, o III Encontro Internacional da Rede Todas as Artes | Todos os Nomes propõe a submissão de resumos no âmbito de uma enorme diversidade de eixos temáticos. Contará com oradoras convidadas e sessões paralelas (cada sessão terá a duração de 90 minutos, incluindo normalmente quatro papers por painel). Portanto, cada participante pode propor papers e painéis de papers. Um mesmo proponente só pode apresentar e coordenar um painel.

Datas importantes:

Submissão de resumos: desde 10 janeiro a 15 abril 2023.
Abertura das inscrições: 21 abril 2023.
Notificação de aprovação dos resumos: 21 abril 2023.
Prazo final para as inscrições antecipadas: 05 de maio 2023.
Prazo final para as inscrições tardias: 21 de junho 2023.Toda a informação e submissão de propostas aqui: https://todasartes.eventqualia.net/pt/inicio/


Chamada para Resumos || III Encontro Internacional || Todas as Artes || Todos os Nomes

Prezadxs colegxs,

É com muita alegria que anunciamos a Chamada para Resumos para o III Encontro Internacional da Rede Todas as Artes | Todos os Nomes, que terá lugar na  Faculdade de Letras da Universidade do Porto, nos dias 21, 22 e 23 de junho 2023.

O Encontro terá como mote ‘Todo o artista é um ativista e um bom ativista pode ser um artista’, palavras do artista chinês Ai Weiwei, defensor da inseparabilidade da arte e da política, mais especificamente da oposição política e dos impactos que isso pode ter. Incentivadora e afeita à diversidade de abordagens e temas em torno da arte, a Rede Todas as Artes | Todos os Nomes tem vindo a promover, desde a sua criação, em 2016, a convergência, a comunicação e a troca entre pesquisadores e redes de pesquisa sobre a arte nas áreas da sociologia, antropologia, economia da cultura, estudos culturais, estudos urbanos, arquitetura, história e artes, entre outras. Aliás, o mote imagético desta edição associa-se a Chico Buarque – vencedor do Prémio Camões 2019 – artista-ativista que cruza incessantemente artes e linguagens.

Com o intento de estimular, de agregar e de promover uma ampla participação de pesquisadores, o III Encontro Internacional da Rede Todas as Artes | Todos os Nomes propõe a submissão de resumos no âmbito de uma enorme diversidade de eixos temáticos. Contará com oradoras convidadas e sessões paralelas (cada sessão terá a duração de 90 minutos, incluindo normalmente quatro papers por painel). Portanto, cada participante pode propor papers e painéis de papersUm mesmo proponente só pode apresentar e coordenar um painel.

Datas importantes:

Submissão de resumos: desde 10 janeiro a 15 abril 2023.

Abertura das inscrições: 21 abril 2023.

Notificação de aprovação dos resumos: 21 abril 2023.

Prazo final para as inscrições antecipadas: 05 de maio 2023.

Prazo final para as inscrições tardias: 21 de junho 2023.

Toda a informação e submissão de propostas aqui: https://todasartes.eventqualia.net/pt/inicio/


NOVO ARTIGO | Civilizational dissent at late 1990’s: body, fashion and club cultures in contemporary society

Em mais uma parceria muito rica com Henrique Grimaldi Figueredo, tenho o prazer de anunciar a publicação do nosso artigo intitulado “CIVILIZATIONAL DISSENT AT LATE 1990’S: BODY, FASHION AND CLUB CULTURES IN CONTEMPORARY SOCIETY”.

É um artigo que nos aproxima mais da sociologia da moda e da estética – campos face aos quais nos temos vindo a acercar – mostrando de que modo a moda britânica dos anos 1990 – encabeçada por Alexander McQueen -  incorporou nas suas criações o wasted look e uma estética abjecta, como soluções epistemológicas e ontológicas decorrentes do legado da experiências grunge.

O artigo está disponível para consulta aqui: https://iaspmjournal.net/index.php/IASPM_Journal/article/view/1093

GUERRA, Paula & FIGUEREDO, Henrique Grimaldi (2023). Civilizational dissent at late 1990’s: body, fashion and club cultures in contemporary society. IASPM Journal, 12(1), 126-148. ISSN 2079-3871. DOI: https://doi.org/10.5429/v12%20i1  URL: https://iaspmjournal.net/index.php/IASPM_Journal/issue/view/85


VOL. 5 | N.º 2

Apresentação

Paula Guerra e Lígia Dabul

O CORPO COMO UM CAMPO POLISSÉMICO

 

Artigos

CONSCIOUS ECO-CONSUMERS OR MAINSTREAM FASHIONISTAS? THE PERCEPTION OF BARRIERS TO THE ETHICAL CONSUMPTION OF FASHION CONSUMER GROUPS

Julianna Faludi

Os consumidores de moda comprometem-se com o ambiente em linha com a mudança de estilos, enquanto as suas estratégias de compra de vestuário vão desde a necessidade ou experiência de compra até às escolhas orientadas para a sustentabilidade. As atitudes e comportamentos inconsistentes de tais consumidores apontam para a complexidade das decisões de compra. Para posicionar as práticas de compra dos consumidores de moda num espectro de preocupações éticas, este estudo identifica cinco segmentos de grupos de consumidores de moda com base na orientação para a moda, preocupações de sustentabilidade, frugalidade, e laços emocionais. Este artigo investiga a potencial segmentação dos grupos de consumidores de moda para compreender a ligação por detrás da orientação para a moda e da consciência ecológica nas
decisões de compra. Este estudo confirma que o 'ambiente está na moda', especialmente para a maioria dos segmentos identificados entre os grupos interessados e conscientes. O grupo-alvo mais adequado para marcas éticas e sustentáveis e para compras em linha é a tendência consciente. Este segmento tem uma relação negativa com a frugalidade, e o maior compromisso e consciencialização. Este estudo descobriu que o segmento mais pró-ambiental e eticamente empenhado não está interessado na moda e não demonstra qualquer afeto pelo vestuário. Ético, lento, eco-consciente, em segunda mão, e vintage podem constituir um mercado em crescimento, uma vez que novas formas de padrões de consumo podem envolver a procura de investir em modelos intemporais e circulares. Para o efeito, a sensibilização, a cocriação e a comunicação devem ser dirigidas a diferentes segmentos. Este estudo lança luz sobre a diferença de atitudecomportamento baseada na perceção das barreiras ao consumo ético dos diferentes segmentos de consumidores de moda, enquanto fornece recomendações estratégicas sobre como estes segmentos poderiam ser alcançados através das redes sociais sob várias formas.

REWATCHING AGUIRRE, THE WRATH OF GOD: ATHLETICISM, CINE-TRANCE AND THE LEGACY OF WERNER HERZOG’S ANTI-ETHNOGRAPHIC ‘COSMIC’ ETHNOGRAPHY

Nico Psaltidis

O artigo discute o legado do filme de Werner Herzog Aguirre, the Wrath of God (1972) por ocasião do cinquentenário de seu lançamento. Como o primeiro de três filmes épicos da história em que Herzog explora o encontro entre o Homem Ocidental e o Outro, Aguirre abre um confronto com um conjunto de práticas cinematográficas que poderiam ser definidas como 'etnográficas'. Como os etnógrafos, Herzog montou suas produções em um terreno substancialmente etnográfico – a natureza selvagem longe da modernidade, o trabalho de campo e as negociações com as comunidades locais. Também conhecido por sua insistência em estimular sua equipe a uma verdadeira aventura 'etnográfica', somam-se às exigências de Herzog a ideia de 'atletismo' para a realização do filme. Mas será que a única coisa que têm em comum Herzog e os cineastas etnográficos é o contexto? Em certo sentido, a genealogia da idéia de "verdade extática" de Herzog pode ser rastreada até a noção de "cine-trance" de Jean Rouch, etnógrafo e pioneiro do etnocinema. No entanto, Herzog rompe com as estruturas metodológicas humanistas do cinema etnográfico, reduzindo assim qualquer tipo de distância possível entre o cineasta, a equipe e o contexto do filme.

 

A MÚSICA MOVIMENTA A CULTURA E INSPIRA A LUSOFONIA: PELO INTERIOR DE CABO VERDE AO (RE)ENCONTRO DE PORTUGAL

Catarina da Silva e Paula Guerra

O nascimento de uma esfera crioula em Portugal vem acompanhada de ritmos sustentados na morna, no batuque, na coladeira e no funaná nos quais, novos semblantes musicais vêm movimentar o corpo e casar a pele. Estas esferas, estabelecidas a partir de Cabo Verde, direcionam e futuram Lisboa como nova, ousada, ativa e próxima de África que, cantada a partir de diversas latitudes, aventura o reencontro de discursos, fluxos e raízes. Este artigo destina-se nesse sentido: a partir do processo de revisão bibliográfica a abordagem documental articula perspetivas e mobiliza dinâmicas na demanda de circunstâncias e casualidades multiformes, onde a música é aliança de um tempo reconquistado. Unem-se ritmos e dentro de um só celebra-se a memória e a identidade. Existem lugares que se reiniciam. Este é um deles.

 

NERDCORE NÃO É SÓ PARA NERDS. UMA REFLEXÃO SOCIOLÓGICA SOBRE O NERDCORE MUSIC CONTEMPORÂNEO

Paulo Sousa

É possível fazer um rastreamento de alguns dos temas explorados em torno da cultura geek e da sua vastidão. No que toca à dimensão das cenas musicais dentro deste domínio, há um vazio que merece ser preenchido. Nerdcore, é um movimento cultural relativamente recente que teve extensões para uma cena musical em concreto. O que se procurou fazer neste trabalho, em primeiro lugar, foi estabelecer alicerces teóricos para investigadores interessados, visto que a bibliografia sobre o assunto ainda deixa muito a desejar, e por outro perceber de que forma esta nova corrente musical é caracterizada no domínio virtual. Para servir de complementação, tivemos acesso a uma entrevista que foi realizada a um dos pioneiros da cena, Fabvl, por um youtuber de nome Munfu Proffitt, a qual a sua análise serviu de corpus empírico para este estudo.

 

MÚSICA LIMINAR E MEMÓRIAS DE UM FUTURO PASSADO: UMA ANÁLISE SOCIOLÓGICA DO LO-FI E VAPORWAVE

Rodrigo Serra Diogo

Este artigo debruça-se sobre as cenas musicais do lo-fi e do vaporwave tendo como ponto de partida uma abordagem sociológica. Por um lado, é contextualizado historicamente e culturalmente o surgimento de ambos os géneros musicais e, também, analisa-se como se manifestam atualmente no espaço digital. Por outro lado, são descritas as paisagens culturais, temáticas e emocionais destas cenas, uma vez que possuem significados simbólicos e contextos criativos muito específicos: aspetos estes intrincados e sociologicamente relevantes. Deste modo, o artigo conta com o enquadramento destes géneros como cenas musicais, uma análise empírica dos espaços digitais onde estas cenas proliferam e uma tentativa de evidenciar a importância sociológica das dinâmicas de ambas.

 

Registos de Pesquisa

CORPO TRANSFORMADO

Jorge de Carvalho

Jorge de Carvalho do KINO-DOC, núcleo de cinema de cursos de documentário presenciais e online, apresenta, neste registo, um programa de cinema intitulado “Corpo Transformado”. Este programa é constituído por 40 filmes, na sua maioria exploratórios e de cariz documental, que dão a ver transformações do próprio corpo – humano ou de outros animais – e corpos transformados pelo cinema, vídeo e por imagens científicas utilizadas no domínio artístico. Este programa foi realizado na Casa Comum da Reitoria da Universidade do Porto em cinco sessões, nos dias 8, 9 e 10 de abril de 2022.

 

HACKING LES SYSTÈMES: UNE CONVERSATION AVEC MARC-ANTOINE LÉVAL

Henrique Grimaldi Figueredo
O campo da arte não é uma estrutura homogênea. Por definição, organiza-se a partir de suas muitas disputas, verdadeiras lutas classificatórias sobre os arbitrários culturais que operam os regimes de legitimidade. Essencialmente assimétrico, o campo da arte é, portanto, um espaço social repleto de hierarquizações que produzem e reproduzem as desigualdades entre artistas, mercados e instituições. Embora um “sistema” coeso, essa estrutura não está completamente salvaguardada de possíveis processos simbólicos de hackeamento. Nessa entrevista com o artista francês, Marc-Antoine Léval, abordaremos questões como o hackeamento dos circuitos artísticos, a imaterialidade da arte e um certo “artivismo” como modo de sobrevivência no campo cultural da contemporaneidade.

 


NOVO ARTIGO | HOUSE OF GOLDEN RECORDS: PORTUGAL’S INDEPENDENT RECORD STORES (1998–2020)

 

Dez anos depois, publicámos a 'HOUSE OF GOLDEN RECORDS: PORTUGAL'S INDEPENDENT RECORD STORES (1998-2020)' - uma atualização necessária sobre as lojas de discos independentes do Porto e de Lisboa. Demonstramos que as lojas de discos começaram a oferecer não só objetos para compra, mas sobretudo experiências associadas a objetos culturais e novas práticas culturais baseadas na valorização do objeto, bem como experiências de curadoria. Analisamos as lojas de discos independentes como espaços de resistência contra a desmaterialização da música. A emergência de uma nova economia aspiracional é explorada, rejeitando a lógica Vebleniana da ostentação.

 

Link aqui: https://www.mdpi.com/2075-4698/12/6/188

 

GUERRA, Paula (2022). House of Golden Records: Portugal’s Independent Record Stores (1998–2020). Societies, 12(6):188https://doi.org/10.3390/soc12060188. EISSN 2075-4698. URL: https://www.mdpi.com/2075-4698/12/6/188


TODAS AS ARTES | TODAS AS FESTAS | TODAS AS ESPERANÇAS 2023

TODAS AS ARTES | TODAS AS FESTAS | TODAS AS ESPERANÇAS 2023

Falavam-me de Amor
Quando um ramo de doze badaladas
se espalhava nos móveis e tu vinhas
solstício de mel pelas escadas
de um sentimento com nozes e com pinhas, (…)
Depois nas folhas secas te envolvias
de trezentos e muitos lerdos dias
e eras um sol na sombra flagelado.
O fel que por nós bebes te liberta
e no manso Natal que te conserta
só tu ficaste a ti acostumado.
NATÁLIA CORREIA, IN 'O DILÚVIO E A POMBA'

 

Artwork Esgar Acelerado.